domingo, 9 de março de 2014

As 42 Jornadas no deserto



Segue mais um estudo sobre as jornadas do povo de Israel no deserto.
Por: Luis fontes
Introdução - Parte 8

TEXTO: Nm 33.1-3

Graças as Deus nós vamos dar continuidade a última palavra, estamos perto de entrar na primeira estação desta jornada de 40 anos. Nós vamos caminhar por todas as 42 estações aonde o povo de Israel teve durante aquela peregrinação de 40 anos no deserto. Eu quero ler aqui em Números capítulo 33, versículos do 1 e 3, que dizem:
1 - São estas as caminhadas dos filhos de Israel que saíram da terra do Egito, segundo os seus exércitos, sob as ordens de Moisés e Arão.
2 - Escreveu Moisés as suas saídas, caminhada após caminhada, conforme o mandado do SENHOR; e são estas as suas caminhadas, segundo as suas saídas:
3 - partiram, pois, de Ramessés no décimo quinto dia do primeiro mês; no dia seguinte ao da Páscoa, saíram os filhos de Israel, corajosamente, aos olhos de todos os egípcios.

Muito bem, aqui nós vemos que cada jornada é uma saída, saída de algo e também uma entrada numa nova etapa. Todas essas jornadas significam diversas experiências, as quais se indicam pelo nome das respectivas estações onde o povo de Israel esteve então essas paradas ou estações estão intimamente ligadas às experiências espirituais em nossa vida cada estação tem dois aspectos: chegada e saída. Eu quero ler ainda aqui 1 Corintios capítulo 10 para que a gente possa seguir na mesma linha da última palavra que foi compartilhada. Diz assim os versículos 6 e 7:  

6 - Ora, estas coisas se tornaram exemplos para nós, a fim de que não cobicemos as coisas más, como eles cobiçaram.
7 - Não vos façais, pois, idólatras, como alguns deles; porquanto está escrito: O povo assentou-se para comer e beber e levantou-se para divertir-se.

Meus irmãos e irmãs, eu penso que se você leva uma vida muito tranqüila, faz muito tempo que você está vivendo o mesmo estilo de vida cristã esse não é um bom sinal para você. Lá em Oséias vamos recordar um texto que já estudamos. Oséias capítulo 7 verso 8 diz: Efraim se mistura com os povos e é um pão que não foi virado. Nós sabemos que é preciso virar o pão, para que cozinhe ambos os lados, o que acontece quando não se vira o pão? Queima-se um lado e o outro fica cru, isso fala de maturidade espiritual. O que é maturidade espiritual? É conhecimento espiritual, é experiência cristã e quando nós vivemos a vida cristã em busca da maturidade nós sabemos que nunca vamos chegar ao fim desta maturidade, numa única experiência necessitamos de outras experiências.
Veja aqui em 1 corintios capítulo 10, versículo 6, diz “que estas coisas sucederam como exemplo, veja que aqui está no plural são muitos exemplos e diz mais afim de que não cobicemos as coisas más como eles cobiçaram”.
Observe algo aqui, como foi que eles cobiçaram. Igual nós muitas vezes temos cobiçado com o nosso contexto de vida. Porque Deus quando Ele deu estas experiências para o povo no deserto Ele estava pensando em nós quando levou aquele povo caminhar aqueles 40 anos Ele tinha em vista nós hoje é o que você lê neste capítulo 10 de 1 corintios, é isso que o Espírito Santo está ministrando a nós há muitas lições ali que precisamos aprender, aqui neste texto. Diz assim no versículo 7 de 1 corintios 10, que o povo assentou-se para comer e beber e levantou-se para se divertir. Como foi que eles foram idólatras? Talvez aqui esteja uma referência a êxodo capítulos 32 versos de 4 a 6. Aquele episódio de idolatria deles perante aquele bezerro, mas aqui faz uma referência do tipo de idolatria, a comer e a beber a divertir-se. Não é errado comer, não é errado beber, não é errado divertir. Errado é quando essas coisas se tornam uma prática comum no nosso viver e assim nós perdemos a centralidade de cristo nestas coisas. Essa idolatria que está em foco aqui é você divertir, dedicar fazer todas essas coisas sendo que isso não é a centralidade de Cristo. Como sendo isso a prática do seu viver nós temos que entender que a nossa vida tem que ser uma vida vivida na experiência de viver Cristo. Talvez essa distração ou este estilo de distração que Israel viveu no deserto é o que o Espírito Santo deseja chamar a nossa atenção, esse é o cuidado que o Senhor tem conosco porque muito da vida Cristão hoje não passa de entretenimentos. Perdemos a seriedade do estudo sistemático da Palavra de Deus. Estamos vivendo numa geração aonde o povo não conhece mais a Palavra de Deus. Nossas reuniões têm se tornado muito em diversões, em entretenimentos. Temos perdido a profundidade da realidade do falar de Deus e talvez aqui Paulo faça essa referência, talvez em dois aspectos: primeiro pela realidade contextual. Aquilo que lhe foi informado pela casa de Cloé acerca da vida dos corintios. Também porque o Espírito Santo numa visão profética no coração de Paulo trás essas verdades para os nossos dias porque a vida cristã de muitas tem se resumido a entretenimentos; tem se resumido à experiências espirituais. É tremendo tudo isso meus irmãos e irmãs porque Deus deseja nos levar a coisas mais profundas, a coisas mais eficazes referentes à nossa edificação, então, aqui ele fala de exemplos porque são muitos exemplos. Observe que o contexto diz isso, porque são muitas provas, são muitos exemplos. Veja que foram 40 anos. 40 é o número de provas. É bíblico e também é um número de juízo, é para julgar, para nos tirar do Egito porque aquele povo lá de Israel você vai perceber que ao longo da jornada eles podem perceber que eles haviam saído do Egito, mas o Egito não havia saído deles. E uma das obras impressionantes da Cruz de Cristo é condenar o mundo dentro de nós. É condenar as nossas aspirações mundanas, por isso é que muitas vezes temos que passar por provações. Para que nós venhamos experimentar verdadeiramente o significado da vida Cristã. Nós somos peregrinos e estamos caminhando para uma terra que mana leite e mel. Estamos caminhando para a era vindoura para a glória de Cristo. Estamos caminhando para poder experimentar a Cristo Jesus. Se eu e você não entendemos o significado da nossa experiência Cristã ou o significado da nossa vida Cristã em experiência, então qual o sentido da vida Cristã? Que adianta viver a vida Cristã se não conhecemos a sua realidade na prática!
Veja que o Senhor ele nos tirou do Egito, essa é a referência a Ramessés. Aqui no versículo 3 de Números 33. Eu quero chamar a atenção aqui de vocês que estão me ouvindo nesta hora, porque para poder entender isso, a questão de sair do Egito, é preciso conhecer um pouco qual era a situação daquela estação onde Israel esteve que aqui nós vemos que o nome dela é Ramessés. É esta estação que nós precisamos notar aqui. Vamos nos deter um pouco em Ramessés para entender o que é está debaixo do governo em Ramessés. O que significa fazer tijolos para faraó. Nós precisamos entender isso. Porque precisamos saber de onde é que o Senhor está nos tirando, temos que saber aonde é que o diabo tem-nos muitas vezes privados, presos, enclausurados. Aonde muitas vezes Satanás tem nos mantidos enclausurados. Precisamos ser claros quanto a isso.
Vamos a uma passagem que se encontra em Apocalipse 11. Quero chamar a atenção de todos vocês, para o versículo 8. Olha o que diz esse texto: e o seu cadáver ficará estirado na praça da grande cidade que, espiritualmente, se chama Sodoma e Egito, onde também o seu Senhor foi crucificado. Aqui Apocalipse fala das testemunhas que testificaram contra a Besta, que logo depois as matam. Ele as mata e repartem presentes. Neste contexto essa expressão é muito importante que João coloca aqui: “seus cadáveres”, na praça da grande cidade. Preste atenção para esta expressão: que em sentido espiritual se chama Sodoma e Egito. Aonde também nosso Senhor foi crucificado. O Senhor utiliza e unifica três cidades: Jerusalém a velha, não a nova, Sodoma e Egito, porque são três? Porque são três aspectos da mesma cidade, porque diz ai aonde o Senhor foi crucificado, é Jerusalém. Bom, Jerusalém, aquela velha cidade que também é Sodoma e Egito. Numa visão pictórica tem um sentido espiritual, sim que o Egito tem um sentido espiritual também, por isso precisamos entender o que é o Egito? Não somente o que é o Egito, mas também o que é Sodoma? Meus irmãos e irmãs, muitas vezes o Senhor trata o seu povo de Sodoma, príncipes de Sodoma e as vezes é Jerusalém, observe que Jerusalém, aquela cidade onde o senhor morreu capital do pacto lá atrás da história, aqui ele está dizendo que ela é Sodoma. Existe um sentido espiritual para isso, no entanto se nós prestarmos atenção para essa expressão a essas conexões, Deus deseja mostrar-nos algo aqui. Veja que o Senhor tem nos tirado disso, Deus tem nos tirado deste caminho de religiosidade, de perversidade e de mundanismo. Por isso diz aqui no final do capítulo 8 de Apocalipse versículo 11 em sentido espiritual. Então a grande cidade observe isso; em sentido espiritual se chama Sodoma, como também se chama Egito, e nós sabemos que esta cidade onde nosso Senhor foi crucificado é Jerusalém. Aqui nós temos três aspectos: Jerusalém, Sodoma e Egito. Mas todos estes três são a mesma cidade, de maneira que o senhor nos tira do Egito, no sentido espiritual, mas resulta que o Egito também é Sodoma, de modo que o Senhor também nos tira de Sodoma, de modo que Sodoma também tem um sentido espiritual. E Jerusalém também tem um sentido espiritual. O Senhor quer nos livrar de tudo isso. Porque Jerusalém fala de religiosidade, lembra da lei, como aquele povo era religioso. Egito nos fala do mundo, Sodoma nos fala da carnalidade é destas coisas que o Senhor deseja nos libertar. Essas são as saídas do povo de Deus, nós fomos libertados disto, não podemos ser escravo disso, Deus deseja nos tirar completamente. Sair de Ramessés significa isso. Sair aqui significa que nós estamos livres do governo do pecado, governo da carne, governo da religiosidade, do governo do mundo. Esta é a saída. É disso que o Senhor nos livrou quando nos tirou lá do Egito. Alguns aspectos espirituais que nós temos que nos deter, porque quando Deus estava para tirar o povo de Israel do Egito, vocês se lembram meus irmãos e irmãs, que Faraó dobrou o serviço para que o povo não pudesse sair, para que o povo trabalhasse mais, para que eles ficassem envolvidos naquele trabalho no Egito de modo que eles não poderiam sair essa é uma realidade que muitos irmãos e irmãs têm vivido. De modo que o mundo tem ganhado de tal forma que hoje o seu trabalho tem se tornado um alvo forte na sua vida. A busca pelo poder, a busca pelo sucesso, a busca pela fama o dinheiro, tem corroído a vida de muitos cristãos, o mundo os tem sufocado, o mundo os tem mantido em uma prisão espiritual, eles não percebem o quanto estão perdidos nestas coisas. Aqui nós precisamos atentar, porque o Senhor deseja nos livrar destas coisas, o senhor deseja que tenhamos uma vida livre para Ele. O nosso trabalho, o nosso casamento, os nossos filhos, seja lá o que for não pode ser o foco da nossa vida a não ser Cristo. O reino dos céus tem que ser prioridade em nossas vidas. Sair de Ramessés significa isso. Significam o rompimento com todas estas coisas que não agradam mais a Deus, que atrapalha a nossa vida espiritual, coisas que estão entre nós e Deus e que estão roubando Deus de nós, estão roubando o nosso tempo, que estão roubando a nossa consagração, que estão roubando o nosso serviço a Deus. Sair de Ramessés significa isso.
Que Deus de uma forma gloriosa e poderosa venha falar ao seu coração venha trazer a você o verdadeiro significado sobre o que significa sair de Ramessés. Que Deus no poder do seu grande e poderoso Espírito inunde o seu coração da sua doce e santa e poderosa Palavra. Amém.


Nenhum comentário: