segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

UM ALTAR DE GRANDE APARÊNCIA

E, chegando eles aos limites do Jordão, ainda na terra de Canaã, ali os filhos de Rúbem, e os filhos de Gade, e a meio tribo de Manassés edificaram um altar junto ao Jordão, um altar de grande aparência. (Josué 22:10)

Na história dessas duas tribos e meia, podemos aprender uma grande lição. Vemos no capítulo 32 de Números que essas tribos, ao ganharem muitos despojos de guerra, preferem ficar antes do Jordão porque aquela terra era boa para criar gado e ovelhas, eles preferiram aquela terra do que entrar na terra prometida, aquele lugar que DEUS já tinha falado que ali deveria ser o destino deles. Moisés ficou preocupado com esta situação, porque temeu que esses irmãos fossem cometer os mesmos erros dos seus pais e que custou 40 anos no deserto. Depois de advertir os filhos de Rúbem, Gade e a meia tribo de Manasses, resolvem entrar na terra, mesmo deixando para trás suas esposas e filhos, e só voltarem depois de lutar com seus irmãos e conquistar aquele terra que era a promessa do Senhor para eles (Deut 3:16-22). Essa não foi uma decisão acertada, porque as duas tribos e meia estavam com seus olhos apenas nas coisas materiais, preocupados com o gado, ovelhas e com os verdes pastos, mas privaram suas mulheres e crianças de usufruírem da terra que mana leite e mel. Logo logo, eles começariam a colher os frutos dessa decisão inacertada. Depois que eles entram em Canaã com todo o povo e com a ajuda de DEUS venceu os seus inimigos agora é hora de voltar para aquém do Jordão. O pior, agora eles voltam sem a arca da aliança que era a presença de DEUS no meio deles. Junto ao Jordão, eles levantam um altar de grande aparência e seus irmãos ficam preocupados, porque só existia um altar e um tabernáculo, então que altar era este? Então Finéias e outros lideres das 10 tribos, voltam para tirar satisfação com as duas tribos e meia. Foi necessário eles se justificarem para que as dez tribos não viessem contra eles por temor ao senhor. Esse altar de grande aparência não era necessário, porque já tinha um símbolo que serviria de lembrança do que DEUS fez, as doze pedras tiradas do meio do Jordão (Josué 4). Aquele grande altar não ajudava a mostrar a unidade do povo e sim a sua divisão. Assim também é hoje. Altares majestosos foram e estão sendo erguidos, prédios de grande aparência onde nossos irmãos tem chamado de Igreja. Também estamos divididos por verdades bíblicas, mas isso não ajuda a mostramos a unidade do povo de DEUS, apenas a sua divisão.
Que possamos orar para que o Senhor abra os nossos olhos e que possamos nos arrepender diante do Senhor por tudo que temos feito e que não coopera para a sua volta. Que a presença do Senhor seja uma realidade no meio do seu povo, porque não adianta levantar um altar de grande aparência se a arca da aliança ( a presença do Senhor) não estiver ali.

Nenhum comentário: